2008-04-28

A arte da iconoclastia perdeu-se na Web

Há já um bom tempo, o Paulo César Pereio vem falando em fazer uma "campanha para demolir a estátua do Cristo Redentor". Apareceu uma declaração dele na Folha, outra na Veja. Em ambos os casos, não li os textos originais, e sim a repercussão em blogs. Este tem uma explicação do caso, com transcrições das declarações originais.
Mas o assunto aqui não é se se deveria demolir algo ou não. Como tantas outras vezes, o que me chama a atenção é a massa de anônimos alegres que dão pitacos e cagam regras em comentários de sites sem terem a mínima noção real do contexto.
O que o Paulo fez, essencialmente, foi soltar uma tese irônica para chamar a atenção para si mesmo. Deu certo, tanto que estou falando dele agora mesmo. Praticamente todos os comentários no blog linkado mostram que o objetivo foi alcançado.
Mas a ironia não foi entendida.
A leitura é superficial e apressada demais, falta senso de humor e a resposta emocional instintiva ("como ousam mexer com Jesus Cristo?") oblitera a possibilidade de interpretação. Ou isso, ou é simples caso de falta de inteligência, mesmo. Julgue e decida.
Por exemplo, um comentarista fala que é cristão - variedade católica - e por isso não faria sentido ele ser contra a estátua. Outro diz que é contra a estátua exatamente por ser cristão - mas da cepa protestante.
Pois bem, a religião não tem nada a ver com isso. E sim a nossa facilidade para criar e impor unanimidades burras.
Qualquer um está no direito de achar que o Cristo no Corcovado é esteticamente questionável. Já dizia Mark Twain que, quando você concorda com todo mundo, é hora de parar e repensar. É com isso que o Peréio mexe em sua provocação: a vocação peculiar do nosso povo de não querer aceitar que os outros pensem de maneira diferente.
A chave para decifrar a ironia é a equiparação ridícula do Cristo à horrível estátua do bandeirante Borba Gato, que fica no bairro do Alto da Boa Vista, em São Paulo.
Efetivamente, ambas as estátuas são pastilhadas, ambas são cafonas e ambas impõem uma simbologia específica com viés político à paisagem natural. Então?

2008-04-20

Volkswagen - É tão difícil fazer a coisa certa?

A Volkswagen finalmente acertou fazer o recall do Fox e colocou no ar este hotsite informativo.
Quem tem acompanhado o caso, ou quem sabe, os interessados que tiveram parentes e amigos mutilados pelo equipamento mal projetado, deve estar se perguntando como é que demorou tanto para que a atitude obviamente correta fosse tomada. Estava sendo o festival da evasão até agora, causando à marca um desgaste que ela pode não recuperar por completo.
Eu pessoalmente sempre gostei muito da história da Volkswagen, do seu marketing e publicidade criativos e de vários de seus produtos que fizeram história. Inclusive escrevi para este blog, há algum tempo, um artigo detalhado em homenagem ao Fusca. Com o caso do Fox, decidi em desgosto que o texto nunca será publicado, e não somente isso: quero distância de qualquer produto Volkswagen daqui em diante. O recall vem tarde demais para mudar meus sentimentos em relação à marca.

Update - A Volkswagen enviou a diversos blogs um anúncio oficial do recall, que eu postei aqui.

2008-04-15

Logo Mashups - Commentary

The Logo Mashups are visual puns originally intended to be square faceplates for this blog. The first one was created on March 2006. The idea for "Harry Potter" is much older, circa 2001. Beforehand I did puns with the Xerox and Absolut Vodka brands in 1996 (but they're not here due to the cute nice legal threats I got back then).

The first batch of logos has spread across the Web like wildfire. This was totally unexpected, since the drawings were already posted two years ago and I simply republished them by a friend's request. However, the post was discovered by another local blog. Then, a staff member of that blog posted the link on NOTCOT.org. From there it went to Neatorama, UnderConsideration: Brand New (home to a really good and serious discussion about the role of branding), Laughing Squid and many other cool websites from China to Sweden to Finland to Germany to Spain to Japan to Indonesia to Russia to the USA again and beyond.

I'm glad I've chosen mainly global brands to use in the mashups, as the result is intelligible to a greater number of people. Not everyone understands what means "São Paulo Futebol Clube" (a soccer team) or "Itaú" (a Brazilian private bank).

Some people have pointed to similar graphic experiments on the Web. The gist of all of them is different from mine, though. For example, on this one the wordplay is very loose, opening a very broad field for humorous experimentation.

In fact, T-shirts with altered logos are a solid tradition. One of the most popular worldwide is the Ford blue oval logo with the lettering changed into "Fuck".

This one has developed several other intriguing ideas. The first phase deals with pure word puns. A second experiment comprises clever crops on untouched logos, revealing new words as they were there as hidden messages somewhat. In the third experiment, totally unrelated logos are juxtaposed.

In my pieces, the basic criterion for pairing the brand names was sound similarity. But a mashup works much better when it exposes some ironic relationship between the companies involved. The relationship can be based on a real connection or not. In this manner, a humor piece can lead to surprisingly serious insights about the role of visual identity.

Legend to the logos:
Windows Vista + Volkswagen
Nintendo Wii/DS + Microsoft Windows XP
Unix + Unilever
Sony + I♥NY
Samsung + Sam's Club (Wal-Mart)
Dell + Shell
Nikon + Nike
Macromedia + Motorola
Microsoft + Mac OS
Macintosh + McDonald's
Linux + Lux
IBM + GM
Harry Potter + Hewlett-Packard
Carrefour + Canon
Apple + Adobe

Underground (London Transport) + Unibanco
HSBC + São Paulo Futebol Clube
Intel + Itaú


Comentário adicional

A licença Creative Commons é muito clara: pode republicar, pode mexer nas imagens, remixar, melhorar, parodiar, complementar - MAS tem que citar a origem.

O post correu o mundo em dois dias, e os poucos blogs que deixaram de incluir o crédito de autoria foram todos do Brasil.

Depois reclamam quando estrangeiros pegam no pé dos brasileiros na Internet.

Se emendem, caras! Blog não existe pra chupar as coisas na louca. Não fica bem e seu site não vai progredir dessa forma.

Ademais, é impossível que o autor original não descubra o furto de idéias quando ele dispõe da tecnologia necessária para ficar sabendo de tudo sem fazer nenhum esforço; basicamente, Technorati + BlogBlogs + Google + numerosa rede de amigos que dedam os chupões. Várias vezes, nem fui eu a escrever comentários reclamando da falta de crédito, foram outras pessoas que viram primeiro.

Isto não é mera chatice, é chamar a atenção de cada blogueiro para a maneira como ele mesmo gostaria que outros tratassem o suado trabalho dele.

Just For Fun: Logo Mashups































Specific to Brazilian brands:





Update: I decided to put here together also Part 2 and Part 3 of the mashups, since many people only get to see the first batch.
































2008-04-14

Twitter

Eu sou um late adopter. Se não sinto entusiasmo avassalador por uma novidade, sou cético com ela até o momento em que não só estou cercado de geeks que a usam, mas eles ainda me pedem insistentemente para que a use também.
Não, isso não quer dizer que vou entrar no Gazzag, nem no Zorpia, nem no MyBlogLog, nem no SHAREDmessenger, muito menos no Via6. Ainda acho o MySpace muito feio, pesado e bobo. Não tenho acompanhado orkut nem Facebook. E 9 dentre 10 tentativas de fazer chat comigo pelo link do Google acabam falhando.
Mas... o Twitter ainda pode ser útil.
Ou talvez até não, mas pode ser divertido.
Este post é só um recado a quem acessa este site pelo RSS. Para quem chega pela Web, as minhas mensagens do Twitter estão incorporadas na coluna ao lado.