2003-08-13

Contra burguês baixe MP3


Espalhe a palavra.
Copie, distribua, panfleteie... até mesmo sabote passeatas.

Esse slogan foi exibido em cartazes hoje, durante a primeira flash mob de São Paulo, como meio de transformar uma coisa concebida como "sem sentido" numa coisa com anti-sentido. Intervindo na intervenção. Culture hacking.

Flash Mob Blog
...Flash Mob pode ser só uma breve onda. Se for, vamos surfá-la com alegria. Tem onda pra todo mundo...

Folha Informática
...Uma aglomeração repentina de pessoas organizada por e-mail, aparentemente com o objetivo de simplesmente causar tumulto, está virando moda pelo mundo... e parece estar chegando no Brasil...

O Estado de S. Paulo
...Parte do apelo deve-se a sua natureza inexplicável. "Ninguém consegue controlar, nem compreender"...

iG - Último Segundo
...Ao contrário dos "Flash Mobs" realizados pelo mundo, a versão brasileira não contou com o fator "inesperado". Diversos veículos de imprensa aguardavam desde às 12h pelos manifestantes na esquina da avenida Paulista com a rua Augusta... Meia hora antes do ato, o grupo imprimiu alguns cartazes para levar à Paulista. Os mais sugestivos eram o "contra burguês, baixe MP3" ou o "Eu já sabia", usado com freqüência nos campos de futebol...

Terra - Diversão
...não existe um objetivo claro para os flash mobs, apesar de algumas poucas pessoas terem desfilado pela faixa de pedestre com uma folha sulfite com os dizeres "Contra Burguês, Baixe MP3"...

Digerati - Revista Geek
...Segundo o senso comum, hacker é o invasor de sistemas, de servidores e de sites. Não é nada disso, mas dane-se. Agora, perdemos o tesão por invadir computadores de outros. Isso já é muito fácil. Agora queremos hackear a vida real. E hackeamos a primeira Flash Mob que ocorreu hoje na Av. Paulista. Ownar significa dominar, tomar conta e subverter o objetivo inicial. Foi o que fizemos. Dando um anti-sentido ao sentido original do Flash Mob. Protestando contra os protestos dos organizadores. Foi engraçado ver os verdadeiros organizadores correndo atrás das TVs e jornalistas, tentando recuperar o seu filhote perdido. Demonstramos, assim, que essas intervenções só servem para trampolim de artistas frustrados que querem tomar a mídia. Por isso, a mídia foi lá tomar os artistas de calças curtas. Hipocritizamos, assim, dois mobs com um flash só: a hipocrisia da mídia e a hipocrisia dos críticos da mídia...

Magnet - HOTbits
...A manifestação artística sem justificativa, organizada rapidamente pela internet, batizada de flash mob, teve um fim diferente em São Paulo. O movimento inicialmente proposto pelo grupo Arac (Arte Contemporânea) foi invadido por geeks inesperadamente. A iniciativa foi cercada repentinamente por cartazes com o slogan "contra burguês, baixe MP3", criado pelo editor de arte da Macmania, Mario AV...

Valeu, Barbão, pela inspiração.

Update 1 - Confira o fórum da Magnet, onde o flash mob brasileiro está sendo dissecado pelos visitantes. Deixe lá a sua opinião.

Update 2 - Confira mais um depoimento:

CMI Brasil
E não é que o Swing & a Malandragem brasileira deram um show de bola nos aproveitadores de uma idéia gringa metida a vanguarda?
Um Flash Mob dentro de um Flash Mob. O cúmulo da sacanagem!!
Analisem o que o correu:
Um bando de artistas sedentos por quinze minutos de fama.
A imprensa atrás de um movimento novo, niilista e inofensivo.
Todos avisados, tudo pronto pra um espetáculo armado.
Então surge um bando de Delinqüentes com cartazes do tipo:
"Eu já sabia!"
"Contra burguês, baixe MP3"
Um bando de Moleques Abusados desafinando o coro dos contentes. Vandalizando o circo alheio.
Quem foram eles, que conseguiram chamar mais atenção que os "organizadores" do evento? Não interessa, não vem ao caso, como não interessa e nem vem ao caso que são de verdade os Delinqüentes de Curitiba.
Eles foram & são autenticamente aquilo que chamamos de Vírus. Fizeram um autêntico ato de sabotagem cultural.
O que era pra ser uma manifestação non sense e vazia de propósitos foi invadida por impertinentes em guerra com um inimigo invisível.
Quem diria que seria por estas bandas tropicais e abandonadas que surgiriam soluções inteligentes pra cuspirmos na cara do status quo?

Update 3 - Atrasado, porém ainda pertinente: a coluna do Gravatá no jornal O Globo de segunda-feira, 25 de agosto, teve o slogan "Contra Burguês, Baixe MP3" como título, com direito a uma típica ilustração de female exploitation do Cruz usando também a manifestação como contexto. Clique para ver maior.


Update 4 - Fabio Hofnik me enviou ainda na época as fotos a seguir, que permaneceram inéditas no blog até 2009.












Abril de 2009 - Nas fotos acima aparecem várias pessoas da Digerati que eu nem suspeitava que viria a conhecer bem melhor após a manifestação, como o Barbão, o Juliano e o Alessio. A minha amizade com o Marcelo Barbão começou nesse incidente. Eu estava agitando uma colaboração com a revista Geek, então dirigida pelo Barbão, e o slogan me ocorreu espontaneamente durante um chat de ICQ com ele, enquanto eu trabalhava na redação da Macmania. Não pude ir ao flash mob, mas a sede da Digerati fica bem perto daquela travessia da Paulista, de forma que os membros da redação providenciaram rapidamente prints do slogan e correram a se enfiar no meio da multidão, "estragando" a manifestação. Sete meses depois, o Barbão me convidou para trabalhar na Digerati, mas o esquema não deu certo e fomos os dois parar na Conrad/Futuro, onde fomos colegas durante dois anos.

Também eu não suspeitava que pegaria ainda mais gosto por esse negócio de sabotagem cultural e até assumiria o apelido de "Dissidente Cognitivo" pelas minhas frequentes sacanagens e pegadinhas com a cultura estabelecida.

Finalmente, eu não sabia que um dia teria companheiros de pedal urbano em número e nível de organização suficiente para promover passeatas mensais de bicicleta, que saem de um local na Paulista a apenas um quarteirão de distância dali.

Nenhum comentário:

Postar um comentário